sábado, 14 de setembro de 2013

País do Bolama é plataforma de droga

Nos últimos anos todos os relatórios internacionais referem que o país do navio luso-guineense Bolama é uma plataforma giratória de tráfico de droga. A Guiné Bissau fica com um magro quinhão das receitas geradas pelo negócio da cocaína, cerca de 800 milhões de dólares.
A 2 de Abril de 2012 a DEA, a agência norte americana de combate ao tráfico de droga, deteve Bubo Na Tchuto sob a acusação de tráfico de estupefacientes e de armas. O Almirante aguarda julgamento nos Estados Unidos da América.


Almirante Bubo Na Tchuto

O alvo principal da DEA é agora António Indjai, o Chefe do Estado das Forças Armadas da Guiné Bissau. O General deverá figurar na próxima lista de barões da droga elaborada pelo tesouro americano.



General António Indjai

O General António Indjai afirmou recentemente, "não tenho nem dinheiro nem conta em nenhum banco deste mundo".
Numa estrevista publicada hoje no semánário Expresso, Pedro Pires, o ex-presidente da república de Cabo Verde e um dos principais comandantes do PAIGC, acusa os militares guineenses de "tirania e deliquência". Recorde-se que um dos proprietários do arrastão luso-guineense Bolama, era Carlos Gomes Júnior, actual presidente do PAIGC da Guiné Bissau e ex-primeiro ministro.


Caso tenha alguma informação sobre o naufrágio do navio Bolama, envie um e-mail para: investigacaobolama@gmail.com